Depois da fase onde tudo é interessante, diferente e novo, vem a realidade.

Conviver com as diferenças pode ser difícil, mas é possível.
Mas viver essas diferenças começou a me deixar triste por aqui, porque eu só tinha amigos chineses, só comia comida chinesa, trabalhava com chineses e vivia como eles.

Mas essa não era eu!
Comecei a sentir falta das coisas que estavam no Brasil e percebi que era tudo quase impossível de conseguir nesse momento.
Mas eu estava me sentindo deslocada, perdida, no lugar errado igual um peixe fora d’agua ou um alien na terra.

Foi aí que descobri que só eu poderia mudar essa situação, que estar feliz ou não dependia só de mim. Resolvi mudar as coisas que não estava gostando e a primeira delas era conhecer outras pessoas, estrangeiros de preferência, porque assim eu encontraria pessoas na mesma situação que eu: fora do seu habitat natural.

Procurei no site CouchSurfing algumas pessoas que moravam em Hefei e encontrei alguns estrangeiros.
*CouchSurfing é um site que reúne pessoas dispostas a hospedar alguem que está viajando, pessoas que estão viajando e procuram um lugar pra hospedar sem pagar nada, e pessoas como eu que só procuram contatos!
Mandei e-mail pra algumas pessoas que encontrei por lá e recebi a resposta de uma francesa que me deu seu telefone e disse pra eu ligar caso quisesse fazer alguma coisa.

Mandei uma mensagem e no mesmo dia combinamos de encontrar numa cafeteria da cidade.
Peguei um taxi e liguei pra ela conversar com o taxista pra explicar o lugar que eu estava indo. No meio do caminho me vi indo encontrar alguém que eu não conhecia. Indo pra algum lugar que eu não sabia com um taxista que eu não podia conversar. Uma sensação estranha mas muito boa!

No mesmo final de semana ela me chamou pra ir jantar com ela e os amigos dela (estrangeiros também) e foi assim que minha vida mudou aqui na China. Um divisor de águas.
Todos eles tem inglês nativo e dão aula de inglês em diferentes escolas por aqui (a francesa dá aula de francês!), a maioria não fala chinês muito bem, gosta de ir pra bares, encontrar os amigos, fazer piadinhas, etc.
Pronto, achei meu aquário. Um lugar que não é meu habitat natural, mas que é bem similar.

Já fui em vários restaurantes diferentes, bares, balada e já conheci pessoas de vários países também: Inglaterra, França, Escócia, Irlanda, África do Sul, Argélia, Israel, Estados Unidos, Alemanha, Chile… E sempre tem um chinês ou outro mais animado que eles conhecem e saem com a gente também. É o mundo inteiro, numa única cidade.

A diversidade cultural e as conversas interessantes que surgem quando todo mundo se encontra são coisas que eu também buscava nesse intercâmbio. Por isso posso dizer que me sinto melhor e mais feliz com pessoas que estão no mesmo barco que eu, mas eu também gosto de conviver com os chineses. Todo mundo precisa de uma válvula de escape, certo?

Quando cheguei aqui pensei que realmente seria muito mais interessante se eu convivesse apenas com chineses, pois assim eu conheceria muito mais da cultura deles. Mas vi que é preciso muito mais do que um bom argumento pra viver assim durante um longo período de tempo.