Depois do final de semana em Nanjing, viajei de segunda a quarta pra conhecer um fábrica de produtos químicos e pra ir em uma feira em Xangai.

Segunda acordei as 6:00 da manhã, porque as 7:00 o sócio do meu chefe (gerente da fábrica que visitamos) foi nos buscar. Ainda tinha mais outro homem que estava indo pra fábrica com a gente, ou seja, eu e mais três chineses viajando por quase 3 horas. Cochilei bastante, primeiro porque tinha acordado cedo, segundo porque ninguém conversava comigo.😦

A fábrica ainda tá construindo, é na zona industrial de uma cidade pequena e as pessoas que trabalham lá, dormem nos quartos dentro da fábrica mesmo. Almoçamos e jantamos na fábrica. No almoço fiquei horrorizada com o tanto de arroz que eles comem! Mas não consigo explicar o tamanho, era uma vasilha retangular pra cada pessoa só com arroz. De cara já falei que não ia comer tudo aquilo, e então dividi com outra menina. Não comi nem um terço da vasilha toda.
No jantar, participei de novo de outro jantar de negócios. Mesa redonda, muita comida, vinho com 45% de álcool e gosto de cachaça, muitos brindes entre as pessoas, muitas conversas em mandarim. Eu que não entendia muita coisa fui comendo e bebendo (quando alguem brindava comigo), até que em um determinado momento todos nós brindamos e viramos o copo. Aí me avisaram que é depois da bebida que eles servem o arroz! Aí que começou o jantar oficialmente, mas eu já tava cheia!

Tava bem frio esse dia, então a bebida ajudou um pouco a esquentar. Saímos dali e fomos dormir num hotel na cidade de Funing. Ahh que hotel ótimo, 4 estrelas, um quarto só pra mim, com cama de casal, muitos travesseiros, edredon e água quente no chuveiro! Fui dormir 9:30 da noite, muito feliz por estar naquele quarto! Com certeza as olheiras diminuiriam no dia seguinte!

Hotel em Funing

No outro dia, terça, tomamos café no hotel e de novo tinha aquele tanto de comida “estilo almoço”. Peguei umas frutas, umas coisas que pareciam pão e um ovo! Peguei suco pra beber, mas como a moça do hotel viu que eu era estrangeira, colocou uma xícara de café na minha frente! Café de verdade, preto, meio ruinzinho sem açúcar, mas pelo menos era café!!

Dali fomos pra outra cidade pegar um ônibus pra Xangai. A estação de ônibus dessa cidade que nem sei o nome é maior e mais bonita que o aeroporto de Uberlândia! Foram 4 horas de viagem. Passou filme na tv do ônibus e alguns clipes de músicas (em chinês, claro). Um dos clipes era uma versão chinesa da música “Festa no Apê” ( http://vagalume.uol.com.br/latino/festa-no-ape.html ) do Latino (que também é uma versão da música original). Quando vi comecei a rir e falei pro Alan que também tinhamos uma versão em português daquela música, mas não quis prolongar o assunto com medo que ele perguntasse o que falava a letra em português!
Durante TODO o trajeto entre a cidade-que-eu-não-sei-o-nome e Xangai tinha plantação de uma flor amarela que eles usam pra fazer óleo. Dá pra conhecer a economia do local pela casa dos fazendeiros: as regiões que tem casas com 2 ou 3 andares, tem uma economia melhor que as regiões com casas só de 1 andar.

Em Xangai, saímos da estação de ônibus e fomos pro metro (a pé mesmo porque era perto). Quem gosta de shopping na véspera de natal ia gostar de fazer esse trajeto aí!
Felizmente dentro do trem do metro estava meio vazio e pude sentar e pensar. Eu estava na maior cidade do mundo, com mais de 20 milhões de pessoas, estávamos no metro porque tudo é muito longe e cheio de congestionamento, o metrô era moderno, limpo e tinha tradução em inglês.
Saimos do metro e pegamos um taxi pra um hotel (não tão bom quanto o anterior, mas mesmo assim bem confortável). Eu tinha outro quarto só pra mim, e agora tinha sachê de capuccino também!

Hotel em Xangai

Vista do hotel Xangai

A noite encontrei Phil. Um amigo de Taiwan, que trabalhou na Sadia em Uberlândia, aprendeu português, foi pra China trabalhando na Sadia, mas agora trabalha na H&M em Xangai! Primeiro fomos pra casa dele recepcionar uma amiga dele, chinesa, que já trabalhou 6 meses em Curitiba e também fala um pouquinho de português! Depois fomos jantar num shopping perto do centro financeiro de Xangai (lugar dos prédios modernos e iluminados!). A vista do restaurante era linda porque dava pra ver o rio que separa a cidade e os prédios iluminados! Adorei encontrar alguem que eu já conhecia, conversar um pouco em português e cumprimentar alguém encostando as bochechas. Tudo bem normal pra vocês ai, mas tinha quase um mês que eu não fazia nenhuma dessas 3 coisas.

Gabi e Phill

Restaurante

Xangai

Xangai

Xangai

Quarta arrumei a mala, desci pra tomar café e fomos na décima edição da feira internacional de tintas, química têxtil e pigmentos. http://www.chinainterdye.com/
A maioria das pessoas eram chinesas (ou coreanas, japonesas,…, eu não sei diferenciar), tinha muito indianos e alguns europeus. Acompanhamos um cliente que queria entrar em contato com alguns fabricantes e depois visitamos alguns estandes.

Feira em Xangai

Feira em Xangai

É sempre muito interessante estar aqui e participar dessas viagens de negócios. As negociações entre chineses e europeus, a dificuldade na comunicação, as regras que devem ser cumpridas…tudo isso só se conhece estando aqui! Que bom que estou aqui!!

No almoço, encontramos um amigo do Alan e fomos pra um restaurante. Um almoço de negócios. Muita, muita comida! Tinha uns 15 pratos diferentes (que não couberam na mesa todos ao mesmo tempo)! Comi salmão cru, carne de porco frita, frutas com camarão, lagosta, leite com pão, carne de boi (cheia de gordura), brócolis, cogumelo, e outras coisas que não sei o nome.
Além de beber vinho pra acompanhar! Uma delícia, mas um exagero!! A maioria da comida que sobrou (claro que sobrou!), o Sr. Amigo-do-Alan mandou embalar pra levar! Dava pra ver o interesse dele no Brasil, mas ele não falava inglês e eu não falo mandarim. Tudo que conversamos foi intermediado pelo Alan.

Depois de tanta comida, fui pra estação de trem comprar passagem pra voltar pra Hefei. Eram 3 horas da tarde, a minha passagem era para as 6:20, tava um frio de uns 5 graus, e eu estava sozinha na estação com um monte de chinês. Fui visitar as lojas e acabei comprando uma bolacha recheada muito ruim e uns palitinhos que eu achei que era de chocolate mas eram de café! Mesmo estando superlotada de comida, comi os palitinhos. Eu não tinha naaaada pra fazer!
A estação de trem tem muita gente, indo pra várias cidades diferentes, mas é tudo muito bem organizado e pontual. Não me perdi, não perdi o trem!

O trem é confortável, tem serviço de bordo e anúncios em chinês e inglês. Mas fui naquelas poltronas ao contrário, de costas pro motorista. Viajei de costas, cochilei, pensei, comi bolacha e depois de 3 horas de viagem (o trem é bem rápido), cheguei em Hefei. A Joy tava me esperando e o frio era igual ao de Xangai. Ficamos numa fila imensa pra pegar taxi e então voltamos pra casa!

Contabilizando: 2 noites, 2 lugares diferentes pra dormir.

Totalizando: 5 noites, 5 lugares diferentes pra dormir.

Que bom foi viajar! Que bom que era estar de volta!

Obs: Fiquei só um dia em Xangai, mas ainda vou voltar em algum final de semana pra conhecer melhor a cidade. Quem quiser ler um pouco mais sobre a cidade, encontrei esse post do Zeca Camargo sobre a Xangai.
http://colunas.g1.com.br/zecacamargo/2010/04/15/como-se-apaixonar-por-xangai/
Aparentemente ele estava lá na mesma semana que eu!