Meu horário de trabalho termina as 17:30, mas desde quando comecei, nunca sai da empresa antes das 19:00.
Isso não quer dizer que eu fiquei trabalhando o tempo todo, mas sim que sempre esperei a Sophie terminar o que ela tinha pra fazer (e ela sempre tem muita coisa pra fazer!).

Isso significa que de segunda a sexta, nossa vida se resume em: acordar-trabalhar-almoçar-trabalhar-jantar-dormir e a libertação vem nos finais de semana.
A sexta-feira a noite tem sempre mais entusiasmo, mesmo que a gente faça a mesma coisa dos outros dias: jantar e dormir.

Nos finais de semana é que posso dormir até mais tarde, ler meus livros, resolver meus problemas de cartão de crédito, conhecer o centro da cidade, ver mais chineses, andar de ônibus, ir nas lojinhas pra comprar guloseimas, ou ir no supermercado comprar frutas. Nos finais de semana é que experimento pratos diferentes, que limpo a casa, que lavo minhas roupas, que posso comprar o que quero, e posso ir no Karaoke. Nos finais de semana que sinto mais saudades, lembro mais e sinto falta.

Estou lendo dois livros: “Montanha-Russa” (Martha Medeiros) e “Cem Dias entre Céu e Mar” (Amyr Klink), adoro os dois e economizo leitura só pra poder ler o livro por mais tempo. Se eles acabarem, ainda tenho “O homem duplicado” (José Saramago). Mas quando todos acabarem, não poderei comprar livros em português aqui.

Trouxe dois cartões pra China, um cartão de crédito e outro que só posso usar como débito ou saque. Ainda não consegui usar nenhum dos dois. O cartão de crédito porque a moça disse que não era um cartão da china, e como eles estavam com medo de não receber do banco, nem tentaram passar o cartão. Sem comentários!
O outro cartão estava expirado no sistema do banco e até hoje estou esperando outro cartão chegar aqui pra resolver meus problemas financeiros.

Fui no centro da cidade aqui em Hefei. Muita gente andando na rua, muita buzina de carros e motos, muitas lojinhas e um shopping com vários produtos de marcas multinacionais. As marcas que as vezes me deixam feliz por me situarem na China, não são interessantes nos shoppings, porque tudo é do mesmo jeito que é no Brasil (e provavelmente no resto do mundo). É por isso que não vejo graça nesses lugares, por mais que eles mudem, eles continuam exatamente iguais!

Centro da cidade

O centro da cidade parece mais globalizado que meu bairro. Mas mesmo tendo um restaurante da Pizza Hut ali perto, preferimos ir comer em um restaurante Coreano. Ainda bem! E depois, de sobremesa, comi ursinhos de gelatina (Tati, aqui também tem!!)

A noite na China me encanta! Os prédios iluminados faz com que eu me sinta dentro de um video game ou filme ou alguma coisa fora da realidade. Por que não fazem isso no Brasil também?

Luzes no centro de Hefei

Fui visitar uma academia de ginástica aqui também. Tudo igual, mas além da parte de musculação, tinha uma sala com mesa de ping-pong e outra de sinuca. Preferimos a sinuca (dos males o menor).

Escrevo hoje do meu novo computador! Que felicidade! Ainda mais porque o namorado da Sophie conseguiu colocar todo o sistema em português (porque vem tudo em chinês) e se não fosse ele eu provavelmente não teria comprado. Agora temos um roteador também, assim posso usar a internet do meu quarto a hora que eu quiser. O notebook saiu bem mais barato que no Brasil, mas já avisei que não pego encomendas, né?

Mini Shopping onde comprei meu computador!!

E saiu mais barato porque “comprar” aqui é diferente que “comprar” no Brasil. Primeiro a gente pesquisou na internet os preços, depois fomos paro o mini-shopping (que só vende eletrônicos) para ver os computadores, pesquisamos preços e modelos por lá, fomos pra casa, voltamos no outro dia com a decisão tomada, negociamos em um lugar, negociamos no concorrente, pechinchamos e finalmente compramos. O preço final foi bem mais barato, e ainda ganhei mouse e uma pasta pra colocar o notebook! Excelente! Graças aos meus amigos chineses!

Aqui não tem Páscoa (eles não sabiam o que era isso, nem porque comemoramos), a maioria das pessoas é Budista e isso muda muita coisa relacionado a forma de pensar e cultura das pessoas. Ainda não tenho informações suficientes para escrever sobre isso.

Mesmo não tendo Páscoa aqui, a Sophie comprou um pacotinho de chocolate e me deu! Achei lindo, fiquei super feliz! Porque é ruim passar datas comemorativas longe da família, mesmo que não tenha nada de muito especial nisso.

Chocolate na Páscoa! Até aqui na China...

Feliz Páscoa pra todo mundo!