No hotel, o café da manhã era dividido em duas partes: o oriental, e o ocidental! Uma variedade enorme na parte oriental, e uma mesinha restrita na parte ocidental! Mesmo assim achei ótimo, fiquei feliz por ver pães, biscoitos e geléia. É claro que eles ficaram surpresos, mas entenderam a minha escolha!

Depois de uma hora de viagem chegamos na indústria química, fizemos uma reunião com o dono da empresa e depois fomos conhecer as instalações.

A reunião foi uma experiência incrível! Pensei até que se eu voltasse para o Brasil no dia seguinte, a viagem já teria valido a pena. As formalidades, os costumes, as tradições, as regrinhas de uma reunião na China só pode ser vista estando aqui! Mas vou tentar descrever como foi.
Chegamos na sala do dono e nos cumprimentamos com um aperto de mão. Normal. Fomos pra uma sala (grande e bonita) pra ter a reunião, abrimos nossos cadernos (devemos ter cadernos para anotar o que está sendo dito na reunião) e então teve a troca de cartões de visita: de pé, entregando ou recebendo o cartão com as duas mãos. Depois o cartão deve ser colocado, com todo respeito, em cima da mesa.
Nos serviram chá, e o dono da fábrica começou a falar sobre o que eles faziam. Depois disso o meu chefe falou sobre o que nós faziamos e assim continuaram conversando sobre os negócios de cada empresa e como eles poderiam se ajudar.
Obs: A reunião deve ter durado uma hora ou mais, e ela foi inteira em chinês, ou seja, não entendi quase nada e fiquei com aquela cara de participação. Às vezes eles traduziam o que estava sendo dito pra mim, mas isso aconteceu poucas vezes. O que percebi da linguagem não-verbal (dessa eu entendo mais) foi respeito, profissionalismo e um clima de amizade.

Depois disso fomos conhecer a fábrica, e como é uma indústria química, senti vários cheiros ruins! Meu chefe pediu pra que eu observasse se eles se preocupavam com o meio ambiente e como eles cuidavam do produto que nós possivelmente compraríamos dessa empresa.
Não sei comparar essa fábrica com nenhuma no Brasil, porque infelizmente nunca visitei uma por ai…

Almoçamos todos na empresa, em volta de uma mesa cheia de comida. Aqui eles valorizam muito as refeições, e um almoço de negócios serve também para estreitar as relações.
Eles sempre brindam muito durante refeições desse tipo, a primeira vez todos brindam juntos e conforme vai passando o tempo eles vão brindando com uma pessoa determinada. Descobri que isso é um ‘ritual’ importante, e que se alguém brinda com você, significa que essa pessoa te respeita. Descobri também que se a pessoa tem um cargo mais alto que o seu o copo dela deve ficar um pouco acima na hora do brinde. Ahh brindamos com um tipo de vinho caseiro que serviram, e a brasileira aqui aceitou porque achou que era sopa! Eles serviram numa vasilha, oras!!! Agora vocês imaginam a cara que essa bebida tinha!! Era feia, mas era uma delícia!

Barriga cheia, pé na areia!

A viagem pra Hefei durou umas 8 horas, mas eu quase não vi passar porque dormi bastante! Foi uma viagem cansativa, mas que me proporcionou uma experiência única!!

Viajando

Um centro de convenções no meio da viagem... não lembro a cidade...

Chegando em casa ainda tive umas aulas de chinês com a Sophie, e ensinei um pouco de português pra ela! Foi divertido!

Assuntos aleatórios:

– Por causa da diferença de fuso, fiquei uns 3 dias acordando no meio da noite morrendo de vontade de ir no banheiro. Parece que a nossa bexiga nao é regulada somente pela quantidade de líquido que ela tem, mas também pelo costume: trabalhar muito de dia e descansar a noite. Como meu dia é invertido aqui, ainda acordo no meio da noite, e fico com sono no meio da tarde. Mas está diminuindo com o passar dos dias.

– Não falo mandarim! Só sei contar de 1 até 100, sei as cores, algumas palavras básicas como: Oi, Tchau, Obrigado, De nada, Bom dia… e isso não serve pra nada no dia a dia! Só converso em inglês aqui, e como tem poucos que falam inglês, não converso com muitas pessoas. Tenho que aprender rápido, mas é muito difícil!!!

– Mostrei uma foto 3×4 da Vanessa, uma amiga brasileira com cara de oriental e as meninas aqui ficaram impressionadas em descobrir que existe brasileiro com cara de chinês. Só pra confirmar o que eu disse no post anterior sobre falta de diversidade aqui!